Retrospetiva 2015

by - quarta-feira, dezembro 30, 2015



Eu sei que é montagem, mas eu adoro!
O fim do ano aproxima-se. A meu ver o início de um novo ano serve para nos lembrar de parar e olhar para trás, ver o que foi feito, o que deve ser mudado. O começo do novo ano dá-nos a oportunidade de mudar aquilo que está errado, de procurar a cura das nossas dores e angústias.


Como tal, decidi escrever aqui a apreciação geral do meu ano de 2015. Aliás, eu escrevi no meu blog da altura uma lista de objetivos a cumprir em 2015. E uma série de perguntas a responder no fim do ano. Assim sendo, deixo-vos aqui a apreciação do meu ano.

Por um lado 2015 foi um ano particularmente difícil em relação à escola. Com o bulling psicológico constante que me levou a uma depressão e posteriormente ao gabinete da psicóloga, com as notas a descer por causa dessa depressão, e a desilusão que foram os exames nacionais. O início do secundário também não foi fácil, sobretudo com uma negativa a matemática, mas felizmente depois de uma tempestade há sempre um arco-iris e tudo se resolveu da melhor maneira.

No que toca às relações sociais houve altos e baixos. Descobri finalmente quem são os meus verdadeiros amigos, aqueles com quem posso contar, mas fazer parte de uma nova turma onde não conheço ninguém revelou-se a tarefa mais difícil. Percebi que tudo aquilo por que passei nos últimos 3 anos danificou a minha capacidade de conhecer novas pessoas e confiar nos outros.

OBJETIVOS 2015
Ler 10 livros Ao longo de 2015 consegui desenvolver o meu gosto pela leitura, o que me deixa bastante contente.
Ler as "Gémeas" todas Com o meu gosto pela leitura apercebi-me também de uma coisa: porquê obrigar-me a ler algo de que não gosto? Afinal, o que passou passou, e não é por ter perdido alguns livros da pré-adolescencia que vou ser menos mulher, não é verdade? 
Ver 20 filmes Nem me dei ao trabalho de os contabilizar, mas tenho a certeza de que ultrapassei largamente esse número, aliás, agora acho que foi um objetivo estúpido.
Comprar blusão tipo cabedal
Comprar camisa de xadrez
Comprar casaco de fato-de-treino
Arranjar caçador de sonhos Este talvez tenha sido outra aquisição estúpida, mas é algo de que gosto muito. Adoro caçadores de sonhos. Não lhes atribuo o significado primordial, aliás, atribui-lhe o meu próprio significado. Gosto de acreditar que nos ajudam a lembrar de perseguir os nossos sonhos.
Criar um novo blog
Tirar mais fotos 2015 foi certamente um ano em que tirei muitas fotos e arquivei tudo como deve de ser no meu computador. É algo que adoro no sentido de imortalizar os momentos.
Ser mais estudiosa Sabia que era uma hábito que tinha de adquirir e, apesar de ter tardado, com o início do secundário comecei realmente a estudar mais e a habituar-me a estudar.
Entrar para o quadro de mérito Com a depressão e tudo foi algo que se tornou impossível. E afinal também não era um objetivo que eu realmente tinha, era uma daquelas ideias que nos são incutidas à pressão pelos nossos pais e superiores.
Estudar mais violino Quem corre por gosto não cansa, mas quem anda contra-gosto cada passo parece que mata. E a partir do momento em que me obrigam a fazer algo de que já não gosto...
Tocar música "de rádio" no violino Nem este objetivo me fez gostar um bocadinho mais de música.
Aproveitar mais os momentos Acho que esta também foi uma das razões pelas quais 2015 me pareceu tão bom e tão mau ao mesmo tempo. Decidi que se era para viver, que fosse intensamente, e foi isso, vivi tudo tão intensamente...
Dar-me mais com gente de Setúbal Sim, finalmente posso dizer que tenho um grupo de amigos, aliás, posso dizer que tenho dois grupos de amigos onde me sinto bem, e não me sinto invisível, e sabe tão bem...
Dar-me mais com gente da minha idade Uma das coisas que me magoava era por vezes sentir que os únicos amigos que tinha era gente mais velha, bastante mais velha que eu, pessoas noutra fase da vida... não que isso seja mau, mas por vezes é preciso ser compreendido por alguém da mesma altura que nós, não é?
Dar-me mais com rapazes Mais uma vez, não sei por que razão escrevi isto. Mas penso que foi superado.
Apaixonar-me E já estava apaixonada, ainda só não o tinha descoberto. 
Sair mais de casa Sair mais de casa, combinar mais "cenas". Tanto que a minha mãe já se chateia! Bem vinda à adolescência mãe.
Ir mais ao cinema No fim de 2014 apercebi-me que nesse ano não tinha ido uma única vez ao cinema, dá para acreditar. Assim sendo, este ano fui ao cinema vária vezes.
Ir mais ao shopping Agora com um centro comercial em Setúbal, é daquelas coisas que se tornou mais frequente, e tornou-se também um dos locais mais frequentes para reunir os amigos.

PERGUNTAS
Conseguiste finalmente criar um Blog com o qual te sentisses confortável? Acho que posso dizer que sim. Aliás, criei logo no início do ano um blog onde me senti confortável por uns tempos. O If I Die Young inspirado na música com o mesmo nome. Depois criei este, este que faz mais sentido na minha vida, que faz mais sentido no meu dia a dia, que faz mais sentido nos meus pensamentos.

Decidiste fazer o 8º grau de música ou desististe da única coisa que te fazia sentir bem? Como já disse acima, 2015 foi também o ano em que me zanguei com a música. Zanguei-me com o violino, zanguei-me com os professores, zanguei-me com as músicas, zanguei-me com o conservatório e as más organizações. Zanguei-me, e como tal, fiquei apenas em regime livre, e apenas porque a minha mãe me obrigou insistiu.

Voltaste para o Ballet ou foste demasiado orgulhosa para isso? Continuaste no HipHop ou foste para o Karaté? Em setembro de 2014 decidi dar uma de rebelde e sair do ballet. Na altura como a minha mãe me obrigou a continuar a fazer "desporto" fui para o hiphop (isto porque a minha mãe não me deixou ir para o karaté. Claro está que chegando ao fim do primeiro período não quis mais nada com o hiphop (nunca gostei de me ver a dançar ao espelho), mas parva como sou, voltei para o ballet em vez de insistir com o karaté. Conclusão: atualmente não faço qualquer tipo de atividade extracurricular porque se é para fazer mais uma coisa de que só a minha mãe é que gosta, então mais vale não fazer nada.

Atingiste os teus objetivos nos exames de 9º ano? Não. Decididamente não. Atenção, não tirei más notas, aliás, até foram bastante boas (81% a matemática e 76% a português) mas simplesmente tinha posto a fasquia muito alta.

Sempre foste para ciências como era suposto ou enfrentaste tudo e todos e escolheste o teu próprio caminho? Mais uma vez, e como diz uma amiga minha, não ganhei tomate suficiente e deixei-me ficar. Deixei que fossem escolhidos os caminhos óbvios. Óbvio ao ponto de que não tive voto na matéria nem na escolha da escola, nem na escolha da área de opção (no caso de não entrar em ciências)... não sei se já perceberam mas... basicamente a minha vida é ditada pela minha mãe, engraçado não é?!?

Conseguiste ganhar coragem para mudar de escola? Lá está, coragem para tentar eu tive, não posso é fazê-lo sem que a minha mãe autorize não é?!? E mais uma vez a vontade da mãe prevaleceu.

Foste a algum festival de Verão? Com muita pena minha não... Nem com Salomé, nem sem Salomé. Nem ao único concerto que realmente quis ir (dos 5SOS) a minha mãe me deixou ir (porque era a um dia de semana) e depois ainda me diz que eu posso ir a todos os concertos que quiser desde que tenha boas notas... mas depois nunca me deixa ir a nenhum. Coisas de mãe.

Como estão aos coisas com os Diogos? Bem, esta era uma das perguntas que mais medo tive de colocar na altura, e mais medo tenho de responder agora. Duas pessoas bastante especiais na minha vida, mas digamos que eu tenho o dom de complicar tudo o que de mais simples existe. Gostei de um, depois gostei de outro, quase namorei com ele, e não namorei com nenhum, magoei os dois, magoei-me a mim, magoaram-me. Palavras que foram ditas nos momentos errados, irmãos intrometidos... enfim, grandes confusões. Já não me dou com nenhum.

Qual a maior loucura que cometeste em 2015? Agora que penso bem... acho que nem cometi nenhuma loucura em 2015... mas sem dúvida há um momento que vou recordar para sempre como o melhor do meu verão: fui dormir a casa de uma amiga minha, a Salomé, e depois de os avós dela se deitarem fomos as duas para a varanda, com mantas, casacos, almofadas... e ficámos lá até às tantas da madrugada a conversar. Soube tãoooo bem.

Como foi 2015? Atingiste os teus objetivos? Acho que posso dizer que 2015 foi um ano extremamente difícil. Foi um ano de desafios, foi um ano de auto conhecimento acima de tudo. Foi um ano em que estive no meu pior, foi o ano em que fiquei sem forças para continuar a lutar, foi o ano em que cedi, foi o ano em que ouvi "estás um caco". Foi um ano difícil. Mas também foi o ano em que aprendi a sorrir, o ano em que ri até doer a barriga, o ano em que tirei muitas fotos, o ano em que consegui desabafar com uma amiga, o ano em que tive momentos de muita alegria, apesar dos imensos de profunda tristeza. Posso dizer que consegui superar o principal objetivo, aquele que nem me atrevi a escrever: o de sentir que sou capaz de tudo, desde que queira.

Espero que não tenha sido uma seca muito grande, mas era algo que precisava de fazer. E sugiro que vocês também o façam nos vossos blogs (e deixem-me o link).

You May Also Like

1 comentários

  1. Espero que para o ano seja melhor! Tem um ótimo 2016 e sê feliz, não há nada mais importante!

    Beijinhos,
    http://meandtheworldbysky.blogspot.pt/

    ResponderEliminar