#5 Carta para um estranho

by - segunda-feira, julho 04, 2016



Esta vai ser uma carta muito curta. Não há muito que se possa dizer a um estranho. É nos sítios mais improváveis que mais nos surpreendemos.


No passado dia 30 de junho combinei com umas amigas irmos ver o jogo da seleção contra a Polónia a um café no centro da cidade. Jantámos todas juntas e lá estávamos nós na esplanada a rir e a gozar enquanto aguardávemos o começo do tão aguardado jogo.

E vocês pensam... o que é que há de anormal?!? Na realidade nada. Exceto um senhor da mesa ao lado da nossa que se vira e pergunta "Importam-se que eu fume?" Nenhuma de nós se importou, e tendo em conta que estávamos numa esplanada o senhor nem tinha de perguntar nada, mas a gentileza surpreendeu-me.

Hoje em dia já não há muitas pessoas assim. Hoje em dia é muitas vezes um salve-se quem puder, um cada um por si, um que se lixem os outros. Obrigada por ainda existirem pessoas civilizadas e que se procupam também com o bem estar dos outros no espaço público quando vai para além da legislação.

E a vocês, caros leitores, tentem também ser pessoas assim, pode ser? É com o contributo de todos que fazemos um mundo melhor.

You May Also Like

2 comentários

  1. Eu também já fiz o desafio das 30 cartas e tenho estado a gostar muito de ler as tuas. Mas esta... Creio que uma carta a um estranho seria algo mais completo. Porque um estranho pode ser alguém da rua e pode também ser alguém que se afastou de ti e que mudou totalmente. É uma carta com mais perguntas do que respostas porque... bem... é para alguém que não se conhece.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, mas optei por não complicar, até porque neste momento gosto pouco de perguntas sem resposta.

      De qualquer das maneiras obrigada pela crítica, é sempre bom receber opiniões diferentes.
      Da próxima vez não precisas de deixar em anónimo.

      Eliminar